Blog Lumni | O erro terrível do sensacionalismo
O erro terrível do sensacionalismo
28 mar 2016

O erro terrível do sensacionalismo

28 mar 2016

Todos nós sabemos que um anúncio deve conter imagens fortes e representativas para chamar a atenção do público. Mas qual é o limite?

A escola de natação FitFlex que fica na cidade de Esteio no Rio Grande do Sul fez um anúncio para divulgar seus serviços e decidiram por misturar com uma campanha para chamar a atenção dos pais para um perigo constante na vida de quem convive com crianças: o afogamento infantil.

Com a frase: “9 meses para nascer, 3 anos pra crescer, e 2 minutos para ficar sozinha em 1 pode morrer afogada” – muito mal escrita, diga-se de passagem – a campanha tinha como objetivo mostrar a importância da prática de natação fazendo um link com os perigos de afogamento.

De fato este é um tema válido para discussão, entretanto, o primeiro erro gravíssimo aconteceu na escolha das imagens para a campanha:

A decisão errada

A decisão errada

O anúncio seria só mais um se não fosse pela inclusão da imagem do menino Aylan, o garotinho refugiado que morreu afogado tentando fugir da guerra na Síria e que repercutiu no mundo todo como a imagem que representava o sofrimento e a luta dos que tentam fugir da crise em seus países.

A princípio pensamos que poderia ter sido um erro terrível de falta de informação, onde quem criou a arte final equivocadamente teria incluído a foto da criança por desconhecer toda a história por detrás da imagem, mas após o segundo erro gravíssimo, que foi fracasso no comunicado oficial emitido pela academia, afirmaram que “tentou-se mostrar que não só em uma guerra se perdem crianças, que ao nosso lado uma criança pode morrer acidentalmente afogada” e ainda, numa tentativa frustrada de se explicar, disseram que “nossa intenção também era chamar a atenção para o grave e real problema de afogamentos”, a empresa mostrou que queria sim viralizar através de sensacionalismo, chamando a atenção das pessoas através de imagens de alta repercussão e que atingissem o emocional de quem interagisse com ela.

Ou você faz publicidade para o seus produtos/serviços, ou você faz campanha social sem qualquer interesse comercial. Os dois juntos jamais, porque com as redes sociais e todo o acesso a informação que dispomos hoje, oportunismo emocional não passa mais desapercebido.

Este post foi baseado na matéria escrita pela Buzzfeed, onde pode-se encontrar também a declaração na íntegra da empresa e algumas das reações do público ao se depararem com o anúncio.

Deixe seu comentário!

Mais Postagens